24/04/2017

Golo!

Hoje apetece-me vestir o papel de comentador de bancada e vou escrever sobre futebol - um tema tão profundo e do qual tão pouco percebo. Claro que gosto de ver uma boa jogatana mas há coisas que me deixam abismado... E vejo que em Portugal ao longo dos anos tem-se vindo a esquecer o que é o futebol e qual o objectivo.

Para quem perceber ainda menos do que eu (duvido) ou alguém que não ande tão atento: um jogo de futebol envolve a disputa de uma bola por duas equipas adversárias. A bola deve ser jogada com os pés e o objectivo é introduzir a bola na baliza adversária. A esta acção chama-se marcar um golo. A equipa que tiver mais golos ao fim do tempo regulamentar ganha o jogo. Se estiverem envolvidas num campeonato, as equipas podem ganhar pontos e aquela que tiver mais pontos no fim desse  campeonato, é campeã.

Há por aí muita gente mais entendida nesta matéria que culpa os árbitros de influenciar os resultados. Pois, mas esquecem-se que o verdadeiro problemas é que as suas equipas não marcam ou marcam poucos golos.

Temos agentes desportivos com responsabilidade no futebol e grande visibilidade nos média que se armam em adeptos de claque a apelar à instabilidade (para não dizer violência), que dizem que os maus da fita são os árbitros, em vez culpar os postes que se desviam, ou as balizas que encolhem... Se têm tantas certezas que os árbitros são o problema, então apresentem queixa na federação, na uefa, na fifa, na esquadra de polícia. Eu confio na polícia, eles investigam e juntam provas.

Será que eles ainda não repararam que a qualidade das equipas de futebol da primeira liga é muito superior à que estas tinham há dez, quinze, vinte anos atrás? Esta época Portugal teve cinco ou seis clubes a jogar em provas europeias! Felizmente há equipas mais pequenas a praticar um bom futebol e com alguns jogadores que só ficam atrás dos jogadores dos três grandes a nível de contrato e de vencimentos.

E depois temos as famílias que ao longo dos anos foram perdendo o hábito de ir a estes eventos desportivos porque parece ser cada vez menos seguro duas pessoas com opções clubísticas diferentes estarem sentadas lado a lado nestes eventos.

Porquê? Porque também temos claques que, regendo-se pelo ódio ao adversário e com base no mais básico desprezo pelo respeito humano transformam a festa do desporto num acontecimento de alta segurança em que se dá destaque às forças da ordem em vez de se dar o merecida atenção aos desportistas...

O meu profundo desprezo para os neandertais que andam por aí bater nos árbitros, a desejar a morte dos rivais, daqueles que se divertem com o imitar de um silvo de um dispositivo luminoso ou com os cânticos que mencionaram o Eusébio. Desprezo essa ignorância e falta de sensibilidade que não ofende apenas os adversários mas todos aqueles que têm família e gostam de desporto.

Por isso, em vez de desejarem o mal do adversário, desejem primeiro que a vossa equipa marque mais golos.

21/04/2017

128 Aérios por uma escultura?

"Balha-nos nossa senhora"


https://vistaalegre.com/eu/n-s-fatima-sculpture-a7768adv01-liso-eu 

Quando vejo estas coisas, vem-me à memória os sketches do Herman José. Imagino logo o que diria uma das suas muitas personagens e...

"Ora, só falta virem p'ra aqui os donos da fábrica de vibradores T-São dizerem que lhes roubaram o molde dos fálos, é plágio!... ou então é ouvir uns heróis dizer: O da minha senhora é bem maior c'o da Vista Alegre... ou... ca vista alegre fica a senhora quando vê a 'nha escultura...

Uffff....Ok...Pronto... já passou... desculpem, sim?

Se é verdade que não nasci para escrever textos humorísticos, também não fazia ideia que estes adereços ornamentais ou melhor dizendo, brinquedos sexuais, fossem tão caros... até pensava que aquilo devia levar pilhas, mas não, devem ser ecológicos... e de lavagem fácil...
Já estou a imaginar os estabelecimentos comerciais em Fátima atulhados com esta escultura, ainda mais agora que se prepara a visita do Papa... Vai certamente ser um êxito de vendas... já imaginaram o Santo Padre a chegar a Roma com umas caixas a distribuir estes presentinhos pelas irmãs: "Olhem o que eu comprei em promoção! É cristal da Vista Alegre! Ou seja, o nome diz tudo...

Ok, pronto... agora vou deixar este tema, que isto deveria ser um espaço de respeito e dedicado a coisas mais sérias... Acho que a emissão segue dentro de momentos :-D


20/02/2017

Às vezes

...dou por mim a pensar - coisa estranha - naquilo que consegui, no que abdiquei e o que paguei para poder chegar onde estou. E todos os dias me pergunto se era isto que queria. De todas as coisas que queria abdicar só a solidão me ultrapassa - em câmara lenta, lenta, lenta... Não me faz falta muita coisa, só os amigos...

27/09/2016

Quantos anos tens?

No outro dia perguntaram-me quantos anos tenho.

- Tenho... <pausa>

<quantos anos tenho, afinal? Já tenho mais de dezoito, já passei os vinte e os vinte e cinco... aqui há uns anos fiz os trinta e já lá vai mais alguns desde então... E vai daí, comecei a fazer contas de cabeça, a perguntar-me a mim mesmo em que ano é que nasci...> 

- Tenho... <nova pausa>

<e tal como a resposta foi saindo, engasgada, fiquei a pensar na pergunta. Quantos anos tenho? O tempo é etéreo, não se pode agarrar, prender, fechar, guardar, manter... E para dizer a verdade, nao é assunto que me ocupe os dias... Agora que acabo de responder pergunta-me o meu interlocutor: 

- Tens a certeza? 

<curiosamente, num milésimo de segundos fiz novamente as contas de cabeça.>

- Sim. - respondi, ainda que pouco convencido.   


< Chego à conclusão que não tenho tempo para pensar no tempo que passou. Nem em quantos anos tenho ou quantos anos vivi - 
ah! se eu fizer as contas aos anos que vivi a vida, acho que acabava por ser muito mais novo do que hoje sou.>

<Na verdade, quando a pergunta  me foi feita "Quantos anos tens" estive muito perto de responder vinte e dois. Não porque se tenha passado alguma coisa de especial aos vinte e dois anos. Simplesmente é um número bonito, capicua. Além disso, permite-me voltar a fazer asneiras e a experimentar coisas que a cada dia que passam se tornam mais distantes... pois, mas isso já lá vai. E agora, regressando ao planeta terra, rapidamente noto que os vinte e dois e três e quatro e cinco e seis e por aí a fora já passaram há muito tempo...>

<pouco depois, ouço-me a dar-me um conselho: esquece quantos anos tens e preenche os
momentos do teu dia-a-dia sem te preocupares em saber quantos anos já passaram - age com a naturalidade da tua idade mas continua a viver como se tivesses apenas os vinte e dois... porque... porque são capicua.> 

23/02/2016

Momento histórico

Saúdo os Deputados do PS, do BE e do PCP pela aprovação do Orçamento de Estado. Faço votos para que este consenso à esquerda sirva para ajudar a melhorar a situação do país e em concreto a qualidade de vida dos Portugueses!

18/02/2016

Encostado às boxes

Temos tempo. Não o tínhamos antes porque há sempre desculpas.
Quando se encosta às boxes, o tempo aparece, por poucos segundos que sejam. Segundos que parecem minutos, horas, dias, semanas ou quanto tempo for necessário para nós. Não para as nossas coisas, para nós apenas.
Enquanto se está encostado às boxes pensamos naquilo que gostaríamos de fazer com o tempo útil em que ali estamos. Certo é que nos apercebemos que o anseio de poder realizar alguma tarefa esbarra nas condições físicas que nos atiraram para ali.
Então... tenho uma ideia. Projecto o que quero fazer! Assim que deixar as boxes, vou acelerar ao máximo e num breve instante realizar as acções que agora traço... e simultaneamente regressar ao labor quotidiano...
Tão cedo me apercebo quão etéreos são os meus anseios. Porquê? Porque afinal só agora tenho tempo para mim. Que estou encostado às boxes... Frustrante.

28/01/2016

Os alentejanos... outra vez...

Um Alentejano, vai a Évora ao médico. 

Durante a consulta pergunta-lhe:
- Doutori … o que é exactamente o Viagra?

Médico: 
- São pílulas, que fazem você ter relações sexuais 4 a 5 vezes por dia...

Alentejano : 

- Aaah ... é um calmanti!?!



(surripiado do facebook...)