29/11/2010

Porque o Fado nos está na Alma 15

De longe, de onde estou, hoje deixo-vos o clip "Alfama" dos Madredeus acompanhando um "preview" de um filme fenomenal: Lisbon Story de Wim Wenders. 
Se já viram o filme, podem recordar aqui momentos desta fita, se ainda não viram, ficam com uma muito pequenina ideia do que podem ver.





Boa noite


Ferreira

28/11/2010

Onde me leio

No meu ser e onde me leio,
vejo palavras que persistem,
monumentos que resistem
superiores
ao desgaste do tempo.
São pedra que não parte
a água enternecida,
essas palavras são a arte,
o mister de uma vida,
são um rochedo suspirante
pelo mar a despedida
são um cavalo cavalgante
descendo o monte caiado,
mudo de cores,
perdido pelos amores 
que se ofereceram ao luar...
Essas palavras que ficaram
onde quer que as escrevi
foram pétalas que arrancaram 
aos momentos que vivi
correndo 
a via dos parvos, dos parcos,
sem desígnios de grandeza 
nem adivinhando a riqueza
de ser outro em mim 

27/11/2010

Decisões

Já não sei há quantos dias cá estou. 
Aborrece-me o facto de ter cada vez menos em comum com este lugar. Ontem encontrei uma senhora que se recordou de me ver miúdo. Os anos pesam-lhe - como a todos nós. Decido-me. Não vou ficar para me ver envelhecer com este lugar. É tempo de partir.



25/11/2010

Mais uma vez, em meu mundo,
Dita-me a solidão as regras do jogo,
Adormece-me um pesar profundo
Ao arder sóbrio de uma lareira sem fogo.

Estou só. Eis o meu mundo:
Doente do sentir ao dizer...
Pareço barco que afundo,
Seguro do que está a acontecer.

Acabo, ou já acabei, assim.
Estou cansado, despeço-me por ora.
Talvez voltem a ler de mim
Da próxima que me sentir como agora.

24/11/2010

As minhas posses

Tenho tanto,
Tanto...
Tanto nada!
Tanto nada tenho
E, no entanto,
Vivo uma felicidade
Falsa, oca e com nada lá dentro!

Eu tenho, mas tenho mesmo, nada!
Um nada que me faz sorrir,
Olhar em frente e continuar
À procura de um nada melhor.

23/11/2010

Há muito, muito tempo, contava eu uma história

I’m gonna tell you something that happened to me
Don’t you laugh ‘cause it’s serious, can’t you see?
Well, there I was in the woods all alone
All I wanted was to find my way back home.
…’till I found a beautiful girl!

Well, this girl I met was like a dream,
My heart was pumpin’ and lettin’ out the steam,
I guess I was in love!

A year has passed and now she wants to get married.
I am sick of her, I just want to be buried,

Cause she’s a pain in the ass all the time,
I just don’t want her to be mine!

So I looked in that village for a phone,
I wanted to call a taxi to ride me back home.
So the person who was on the other side of the line
Told me: “No problem, dude, everything will be fine!”

Well I thought it was the end,
Now I only wanted her to understand
I couldn’t take her anymore,
So I told her: “Bye babe, see you no more!”

I was happy when I arrived yesterday.
I was alone and had a place to stay.
That girl was finally far away!
- At least that was what I was thinking ‘till today…

First thing I heard in the morning
After I woke up was the doorbell ringing.
I opened the door and I got scared:
SHE WAS BACK, MY WORST NIGHTMARE!!

The mistake is done and she wants to be my wife.
I only keep asking myself, “Is it worth all this sacrifice?”
Meanwhile, I’ll keep on living my life
And turn this bad dream into one which be nice…

So here you have it, this is my story.
I hope you’ll never forget it
And that you keep it in your memory-
Not to do the things I’ve done
Don’t ever put marriage before fun!!

Amanhã...

é outro dia.

21/11/2010

Eu não tenho culpa

Eu não tenho culpa
Que o mundo tenha ficado assim,
Eu não fiz mal a ninguém.
Eu apenas posso dizer “sim”,
Eu declaro-me culpado,
Culpado pelo que não fiz.

Sorrir... É coisa que não sei fazer.
E não faço outra coisa que não sentir
Infinitamente a dor de ser,
E de ter de ver
O mundo ruir
À volta de mim.

Tanta desgraça à minha volta,
Tanta confusão
E eu não sei o que fazer
Senão, ficar sentado a escrever,
Enquanto o meu outro Eu sofre.

19/11/2010

Prémio Dardos


Mais uma vez agradeço a distinção atribuída pelo Largo das Calhandreiras e, porque hoje é a sério, em prol da amizade blogueira aqui deixo as minhas nomeações para o Prémio Dardos: 


«O Prémio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras, e as suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.»



O Prémio Dardos tem as seguintes regras: Exibir a imagem do Selo no blogue; Revelar o link do blogue que me atribuiu o Prémio; Escolher 10, 15 ou 30 blogues para premiar.

Da minha parte, sem ordem fixa e dando seguimento às regras aqui vão os 10 escolhidos pelo "Ferreira - On the Road"


- Palavras sem Tempo http://palavrassemtempo.blogspot.com/ de um poeta Nazareno

 - A Praça Stephens http://joaopaulopedrosa.blogspot.com/ do nosso Deputado João Paulo Pedrosa, que apesar das novas funções nos proporciona regularmente um olhar sobre o dia-a-dia do Parlamento. 

- O Largo das Calhandreiras http://forumlc.blogspot.com/ pela informação actualizada e acutilante sobre o nosso Concelho

-  A nossa Candeia de Ana Paula Fitas http://anapaulafitas.blogspot.com/ pelo modo como a actualidade é escalpelizada 

- A Barbearia do Senhor Luís http://barbearialnt.blogspot.com/ pela frontalidade e capacidade de observação  

- Duas ou três coisas http://duas-ou-tres.blogspot.com/ pela capacidade narrativa

- Da Literatura de Eduardo Pitá http://daliteratura.blogspot.com/ pela exposição e argumentação. 

- Os Três Dês do Acordo Ortográfico de Francisco Miguel Valada http://fmvalada.blogs.sapo.pt/. Apesar de publicar muito ocasionalmente, os textos apresentados merecem toda a atenção pela qualidade  e riqueza de conteúdo.  Francisco Miguel Valada é contra o Acordo Ortográfico, não por convicção,  mas porque apresenta os factos - Tatsachen - que por si só serviriam para desmoronar o AO, não fosse ele um acordo político.  

- As Notas Verbais - http://notasverbais.blogspot.com/ pela indiscrição. 

- O Grande Zoo, de Rui Namorado http://ograndezoo.blogspot.com/, pela visão crítica da actualidade política



Agora, sem mais delongas, vou fazer-me à estrada. Espero, com isto, ter preenchido o meu dever!

Cumprimentos a todos!

Ferreira- on the Road






PS: Quero introduzir um décimo primeiro blogue na minha lista pela seguinte razão: dado que inicialmente não compreendi verdadeiramente o objectivo do Prémio Dardos, julgava que teria obrigatoriamente de nomear dez blogues diferentes daqueles onde o meu havia sido nomeado. Por essa razão, não incluí anteriormente A Carta de um caro amigo que merece com mais que toda a certeza o prémio pela convicção dos assuntos que defende.  Tenho por isso todo o gosto em partilhar  este Prémio Dardos com a importante A Carta a Garcia http://www.acartaagarcia.blogspot.com/ de Osvaldo Castro 


PS2: Porque isto de receber e atribuir prémios tem que se lhe diga, aproveito para deixar aqui o décimo segundo blogue que pertence a uma senhora que expressa a sua natureza com palavras sentidas: Flor de Jasmim



18/11/2010

Do Largo das Calhandreiras

Chega-me a informação que a minha Estrada - o Ferreira - On the Road - acaba de ser galardoada com o Prémio Dardos (espero que possa voltar a ter o acento agudo no "e" em vez do acento circunflexo). 

Prémio Dardos - Fórum Largo das Calhandreiras
À Comissão de Moradores do Largo das Calhandreiras e aos demais prestigiados jurados, os meus agradecimentos por tal distinção (ena, já me sinto nos globos d'ouro mas um pouco mais afiado... na ponta... entenda-se do dardo). 

Em prol da amizade blogueira, despeço-me cordialmente e aqui deixo o galardão em exibição. Amanhã darei seguimento a este comentário (e espero que o Estado de Sitio não dure muito tempo). 

Cordialmente

Ferreira - on the road

17/11/2010

período nostálgico

A tristeza em mim flui
Como a água num rio,
Mas o rio tem a água
E eu... Eu estou vazio.

Vazio da alegria
Que outrora me acompanhou
Cheio de nostalgia
Pelo tempo que passou

S. Pedro em final de tarde...


16/11/2010

A propósito de Solidão

Se há coisas na vida que devemos valorar é a companhia dos outros.

Deixo-vos esta curta-metragem sobre o sr. João Manuel Serra.
Tenho a certeza que vale a pena gastar breves dez minutos para aprender sobre alguém que combateu a solidão até aos últimos dias.

Remember Me in Your Dreams from André Marques on Vimeo.


Aqui fica a homenagem que lhe foi feita no dia em que faleceu.

O Adeus, ao Sr. do ADEUS from João Nunes on Vimeo.


E, para finalizar, deixo o link para a barbearia do senhor Luís, onde escreve o sr. "Luís Barbeiro" muito a propósito do senhor João.

Não se esqueçam, a solidão não escolhe género, idade, estado social, ou local de residência. Temos de combatê-la.

15/11/2010

a estrada da vida

Viajo há muito
Seguindo este caminho
À procura de uma razão,
Um carinho,
Que termine de vez
Com esta solidão,
Que ilumine a minha estrada...
A estrada da vida.

Dor que me domina
E ao meu interior,
Ninguém imagina
O quão sofredor
Me sinto
Por detrás desta máscara
De calma e silêncio.

13/11/2010

à sombra do rio

À sombra do rio, 
à luz dos teus olhos
embarco em teus lábios e deixo-me levar


à beira do silêncio
onde as palavras já não importam


ignoramos o frio
o tempo que se vai
o movimento, 
o ritmo lento dos actos,
o vento que sibila, 
sussurrante
cantando como as árvores
tonitruante
qual raio que nos embala
valente tempestade
que se cala e se vai...


...até que nós, agora, 
nos deixamos embalar...


...à sombra do rio,
 à beira do silêncio
enquanto a noite cai...

11/11/2010

Chove

Chove, no meu coração,
Enquanto a noite invade o meu espírito,
Chove...

Tamanha é a dor,
Tamanha é a solidão,
Tamanho é o sentimento...

Entretanto, continua a chover.
A noite continua a cair
E a dor... continua a doer...

09/11/2010

Palavras

Palavras, apenas palavras
Tudo o que tenho e te posso dar,
Amor,
É o que sinto, e troco por
Palavras
Simples palavras
Que nada dizem de tudo o que sinto...

08/11/2010

Inocência

No meu caminho para casa
Acabado que tinha de chover
Parei junto a uma poça rasa
De água que o vento fazia mexer.

Ali vi ondas, imaginei um mar,
O céu nublado fazia a tempestade;
Numa folha de árvore fiz-me embarcar
Na imaginação própria da idade.

Pirata, mercador ou passageiro,
De cocaras, abaixado, a sonhar.
O tempo não para neste veleiro
De ser menino e poder brincar...

O vento arrepia e faz acordar
O Outono frio da carolice.
Fui criança e agora faço recordar
O garoto da minha meninice.

07/11/2010

Lá fora



Lá fora, as estrelas conseguem ser
Mais completas do que eu.
Porque  o mundo que as envolve
Não é triste como  o meu

Eu tristo por saber
Que a vida é assim.
Elas  tristam por querer
Tristar como  a mim.

06/11/2010

Alma

Alma, 
Não te faças perder.
Faz-te forte, sorri!
Eu já não tenho nada a temer,
Mas quanto a ti...

Aproveita qu’inda é dia,
O sol ainda te pode valer.
E a noite é tão fria...
Vai! Não pares de correr!

Faz levar contigo a Razão
Mas não deixes de entender
Que a lei que rege o teu coração
É a mesma que te deixa viver.

Augura-me a fatiga
Ter de parar por aqui...
Segue tu, dá azo à intriga!
Segue o teu caminho e cuida de ti!

02/11/2010

Porque o Fado nos está na Alma 9

E a pedido de muitas e muitas famílias... hoje não há mesmo nada "pa" ninguém!



Com os agradecimentos para o Folha Seca que puxou esta música d'outros tempos à conversa.

Ferreira

01/11/2010

Hoje não há nada para ninguém

Para mim vir a este blogue é já um vício... é como ir ao café depois do almoço... pronto, certo está que sou eu que vou alimentando o crocodilo!

O que se passa é que neste momento estou a atravessar uma crise de... imaginação. Por isso decidi que hoje não vai haver nada para ninguém. Hoje faço greve, birra, amuo, descanso, dia de Sta. Preguiça, etc. De mim não arrancam nada!

Quero por isso desejar apenas uma excelente noite, enquanto vou fechar a estrada para obras.
Cumprimentos

Ferreira

PS: acho que mudar para a hora de Inverno avariou os transístores da massa vermelha o que levou o pistão que faz a ignição da válvula da imaginação a gripar. Caso se confirme a gravidade da situação, terei de fazer uma revisão mais extensa a qual se poderá estender por mais alguns dias. Até breve.