29/03/2011

Indignado, eu? Porquê?

Só estão a utilizar o dinheiro dos Portugueses para fins devidamente meritórios - como o olhar pela saúde dos cofres dos privados, por exemplo.

Ora, em tempos de crise - há que fechar o saco e impedir que se gaste a prata da casa... ahhh... espera lá, mas, claro, a crise só começou em 2008 e as autorizações já cá estão desde 2007... Ah, pronto, já estou mais descansado - a ser assim ponha-se o investimento na mão das empresas públicas e as futuras receitas na mão das privadas - que é para a coisa fazer sentido! Ora leia-se:

"O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa desautorizou instruções da tutela e lançou, esta semana, um concurso público internacional para a instalação de um ciclotrão - um equipamento de ponta que produz fármacos radioactivos, usados em exames de diagnóstico do cancro, e cujo licenciamento é obrigatoriamente público."


"Apesar de ter concedido em 2007 ao IPO uma licença para a instalação deste equipamento, o Ministério da Saúde fez uma«avaliação rigorosa da viabilidade económica, do interesse clínico/diagnóstico deste equipamento e da sua importância no âmbito da investigação», e alterou a sua posição(...)"

"«O Ministério tinha conhecimento do interesse (do IPO) no equipamento mas não foi informado do lançamento do referido concurso» - uma situação que, apesar de não confirmada oficialmente, poderá levar Ana Jorge a demitir a administração do IPO."     (até dava gosto de ver a Dra. MInistra a fazê-lo e a  impugnar o concurso, mas... não me posso esquecer de que é de Portugal que estamos a falar)
"«O Ministério tinha conhecimento do interesse (do IPO) no equipamento mas não foi informado do lançamento do referido concurso» - uma situação que, apesar de não confirmada oficialmente, poderá levar Ana Jorge a demitir a administração do IPO. "



Eu sei que estou a falar de peanuts - sete milhões de euros não dá para cobrir a tampa da sanita do PR   nem vão acabar com o défice mas também não vão ajudar em nada, uma vez que as mais valias que se poderão retirar deste equipamento acabarão sempre nas mãos dos privados.

26/03/2011

Relembrando "O Derradeiro Recurso"



E, claro o desastre continua.
Pago uma bica e um pastel de nata (vá lá, dois pastéis de nata) a quem souber responder a pelo menos duas das questões deixadas aqui...
Ah, pois é, esqueci-me que se tratam de questões morais - e nisso o acordo ortográfico que nos querem impingir é muuuuuuuuuuito fraquinho...

Mesmo a propósito...

Unas brinca com a apresentação do Futre:

Voltar

Sofri a cada bala manchada
Por sangue d'alguém que como eu
Matou para viver a vida
Sob o belo azul deste céu

D'Angola, do qual me despeço,
Nesta hora pedindo a Deus
Boa sorte agora que volto
Para a minha terra, p'rós meus!

Aqui tão longe cheira a mar
Da minha terra Lusitana!
Talvez seja a pressa de chegar...

Querida mãe, páre de chorar!
Chegarei , são, esta semana!
Só as horas custam a passar...

Falar de dor

Não aguento mais falar de dor
Ou do amor
Que outrora senti
E ainda sinto, deveras, por ti.

Não me consigo enganar
e por isso continuo a sofrer...
No entanto,
nem que chova ao luar
a manhã continuará a nascer...


(ok, admito que  foi um período extremamente lamechas)

O Cartoon do dia


E eu estou farto de circo...

24/03/2011

Nestes tempos difíceis, precisa-de de humor...

Deixo-vos aqui uma anedota que recebi hoje por e-mail

Toca o telefone...
Estou? Mãe? Posso deixar os meninos contigo hoje a noite?Vais sair?
VouCom quem?Com um amigo.Não entendo por que te separaste do teu marido, um homem tão bom...
Mãe! Eu não me separei dele! ELE é que se separou de mim!Pois ... ficas sem marido e agora sais com qualquer um...
Eu não saio com qualquer um. Posso deixar ai os meninos?
Eu nunca te deixei com a minha mãe, para sair com homem que não fosse o teu pai!Eu sei, mãe. Ha muita coisa que a mãe fez e que eu não faço!O que é que queres dizer com isso?Nada, mãe ! Só quero saber se posso deixar ai os meninos.
-Vais passar a noite com o outro? E se o teu marido vier a saber?Meu EX-marido!!! Não acho que se importe, ele não deve ter dormido uma única noite sozinho desde a separação!Então sempre vais dormir com o vagabundo!

Não é um vagabundo!!!Um homem que sai com uma divorciada com filhos, só pode ser um vagabundo, um oportunista!Não vou discutir, mãe. Posso deixar ai os meninos ou não?Coitaditos dos miúdos... com uma mãe assim...Assim como?Irresponsável! Inconsequente! Por isso é que o teu marido te deixou!Chega, mãe!Ainda por cima gritas comigo! Aposto que com o vagabundo com quem vais sair, tu não gritas.
Agora esta preocupada com o vagabundo?Eu não disse que era um vagabundo!? 

-Eu percebi logo, Tchau, mãe!!!Espera, não desligues! A que horas é que trazes os meninos?Não vou. Não vou levar os meninos. Também, já não me apetece sair!!!Não vais sair? Vais ficar em casa? E estas a espera de que, que o príncipe encantado te vá bater a porta? Uma mulher na tua idade, com dois filhos, pensa que é fácil encontrar marido? Se deixares passar mais dois anos, vais ficar sozinha a vida toda! Depois não digas que não te avisei!Eu acho um absurdo, na tua idade, ainda precisares que EU te empurre para sair!

Com uma mãe assim, quem é que precisa de sogras?

23/03/2011

17/03/2011

Desportos: o Golf e o golf

Os senhores da televisão estavam muito baralhados (...) ou queriam-nos baralhar...

Pois é, uma coisa é o desporto motorizado (onde aparece um determinado veículo de quatro rodas) e outra é desporto homónimo da bolinha e do buraco... Haja paciência!

16/03/2011

O Cartoon do Dia

Começo a ficar preocupado com os reais interesses do PS e do Governo. Quando as "políticas sociais" passam por reduzir o IVA num desporto como o golf... não digo mais.


Mais uma vez, obrigado ao Jornal Público pela excelente crítica humorística.

08/03/2011

Censos

Eu queria fazer uma pausa nos cartoons... mas não dá. É que os senhores do Público têm um excelente sentido crítico!

07/03/2011

O Cartoon do dia

Hoje fui ao JN surripiar o cartoon !
Eu sei, devia ter vergonha por estar a postar trabalho dos outros mas...
...estamos em crise!

06/03/2011

O Cartoon do dia

Ainda em linha com o meu último post e com o seu primeiro comentário, deixo-vos hoje o cartoon do Público que substitui o humor pela ironia:

Tristemente é a realidade. Mas estou farto de notícias pela negativa e de não-notícias!

05/03/2011

Sinais positivos

Até que enfim, notícias das boas!
Esta notícia do Leiria Económica é, para além de um motivo de orgulho para a nossa região, uma lufada de ar fresco contra o terrível pessimismo com que se pauta o jornalismo em Portugal!
Ora, muito sucintamente, conta então este jornal em-linha que o Instituto Politécnico de Leiria registou em 2010 "18 pedidos de invenção nacional, posicionando-se à frente das restantes instituições de ensino superior nacionais." 
Parabéns ao IPL por poder contar nas suas fileiras com docentes e alunos que se dedicaram a explorar novos capítulos da criatividade. Faço votos para que estas invenções passem depressa a produtos comercializáveis, rentáveis e geradores de postos de trabalho. 
Decidi apagar o meu último post - tarde, mas ainda a tempo.
Não devemos ignorar, nem esquecer, ainda que por minutos, quem foi responsável pela chacina de centenas de pessoas - mesmo que o motivo seja o humor.
Ferreira

02/03/2011

Cansado mas sedento

Cansado mas sedento de escrever
releio a vontade da minha alma
como se lhe restasse apenas
um último minuto pendente...


Observo silencioso os meus gestos,
à distância, seguro agora o papel
como agarrei o passado - com as duas mãos...
Negado à vontade da minha mente
sinto o respirar enfermo da minha calma
- falta-me a saliva e os segundos
difusos mas não desertados,
contrariam as palavras,
os garatujos e a água
que me faltam para beber

01/03/2011

Nos dias que hoje passam...

Nos dias que hoje passam
Nas horas que vou vivendo
Os minutos, os segundos crassam
Tanto acontece, tão pouco entendo

Neste tempo de rebeldia
Faz-se tarde, ainda tão cedo;
Mas é cedo que começa o dia,
Se bem que nasça a medo

Mas, espera, dorme agora.
A morte é certa e aparecida
Entretanto ou a qualquer hora.
Tarde ou cedo, finda a vida.